terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

"Referendo na Venezuela"



CARACAS (Reuters) - Moradias populares, clínicas e até um novo teleférico mantêm a popularidade do presidente Hugo Chávez na favela de San Agustín, em Caracas, e ajudam a explicar a possível vitória dele no referendo que lhe autorizaria a prolongar sua permanência no poder, que dura dez anos.

Homem de raízes humildes, Chávez confia na sua persistente popularidade entre os pobres para vencer o referendo de domingo, sobre uma reforma constitucional que eliminaria os limites para a reeleição de ocupantes de cargos majoritários.

As pesquisas indicam uma ligeira vantagem de Chávez, mas o resultado pode mudar se o comparecimento for baixo ou se a oposição conseguir convencer os indecisos a votarem "não". Caso a proposta seja derrotada - como já foi num referendo em 2007 -, Chávez terá de deixar o governo em 2013.

San Agustín é um entre as centenas de bairros populares nos morros que cercam Caracas e onde vivem grande parte dos seus cerca de 5 milhões de habitantes.

Embora problemas como a criminalidade tenham abalado a popularidade do presidente, ele continua sendo muito bem visto entre a população por ter investido em clínicas populares e em projetos de desfavelização. Um teleférico a ser inaugurado em breve poupará os moradores de várias horas semanais de caminhadas pelo morro.

"Ele é o único presidente que realmente trabalhou pelos pobres", disse María Acosta, 77 anos, recebendo atendimento gratuito de médicos cubanos. "Se eu pudesse amarrá-lo na cadeira para não nos deixar, eu amarraria."

Tal paixão é típica dos chavistas mais ardorosos, que compõem cerca de um terço do eleitorado. "Se alguém tem uma boa esposa, não troca. Bom, é assim que nos sentimos com esse homem", disse Acosta.

A pobreza na Venezuela cresceu na década de 1990, uma época de grave crise econômica, e voltou a cair depois da posse de Chávez, em 1999. O apoio ao presidente, especialmente entre os mais pobres, subiu junto com a cotação do petróleo, o que permitiu que o governo distribuísse riquezas, subsidiasse alimentos e elevasse os salários.

2 comentários:

André Rodrigo disse...

Será que a esquerda venezuelana não tem nenhum "ser dotado de inteligência" que possa dar continuidade aos projetos do atual governo?
Tem que insistir em tornar Chávez mais um ditador barato latino-americano?
O homem já fez a parte dele, pelo amor de Deus, façam como o Lula, SEJAM DEMOCRÁTICOS.
Já basta haver uma Cuba no continente, país atrasado, a margem do Novo Mundo e da Liberdade.
As únicas "coisas" que existem em Cuba que não sucumbiram ao regime foram, a Faculdade de Medicina, mantida com ajuda de governos de mundo afora mas exemplo para o mundo, e o Regime Castrista que chega a ser "Patrimônio Cultural da Humanidade" pois "guarda" tanta informação que compete com o Vaticano.
De resto em Cuba sobra a miséria e a repressão política.
Não quero dizer que o Lula e o PT são excelentes, mas até este ponto, foi e é o melhor governo de esquerda do continente americano. Justo, soberano, democrático e libertário.
Ditaduras, sejam "azuis" ou "vermelhas", sempre serão retrocesso e ameaça a paz mundial, assim como a ortodoxia religiosa é.
Cuba Libre! Venezuela Libre! Vote NO!

Havaneiro disse...

Querido amigo e companheiro André, é verdade acredito mesmo que a Venezuela deva criar novos lideres para irem assumindo as tarefas do governo bolivariano, e acredito que já vem fazendo isso através de capacitação não só ideológica, mais organizacional e política, apesar de cumprir já uma década no poder Hugo Chaves e a Venezuela nunca participaram de um projeto político tão amplo e democratico como os recentes, onde ao menos a população expressou através de referendos populares , seu parecer , nada mais justo que novamente eles (os venezuelanos)decidam soberanamente sobre o seu futuro.
Sobre Cuba, pais pobre , bloqueado, que desde de 1959 optou por ser soberano e independente, um processo histórico que se mantén até hoje graças o apoio de milhares de cubanos lá residetes, falta também um pouco mais de informação , pois as hospitais, e faculdades médicas, são mantidas unica e exclusivamente pelo governo cubano, que inclusive oferece gratuitamente para jovens da nossa américa a possibilidade de estudar lá, sem custo algum, quanto miséria, volto a dizer é um pais pobre e bloqueado, mais onde os seus tem direito a educação, cultura, esporte, saúde, emprego e lazer garantindos pelo estado, onde não existe uma só criança pedindo esmola ou subnutrida, todas sem exceção em idade escolar estão na escola, enfim poderia seguir numerando valores altamente humanos daquela revolução mais por aqui basta. Tenha certeza que tambem em Cuba existem novas lideranças sendo preparadas para manterem e garantirem as consquistas da revolução cubana. Um abraço

Visitas

FEEDJIT Live Traffic Feed