sexta-feira, 13 de novembro de 2015

"Prefeitura de Londrina venderá terreno destinado a construção de escolas e unidades de saude"

A gestão técnica e eficiente do prefeito de Londrina Alexandre Kireff (PSD) , que disse recentemente na imprensa que o município teve superavit Leia Aqui Agora pede e recebe autorização da nossa câmara de vereadores para vender terreno de 500mts no Alto da Colina, região de potencial valorização imobiliária e econômica, local que seria destinado e reservado para construção de Escola ou Unidade de Saúde. Leia Aqui Interessante uma gestão que diz ter dinheiro sobrando precisar vender terreno para reformar prédios públicos, uma administração que utiliza ou tenta utilizar áreas verdes para construir creches, agora vende um espaço destinado para esse fim, em uma área de grande potencial de crescimento. . . Fruto da técnica da eficiência ou da diligente percepção de futuro dos que com ele militam . . . ?

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

" Politicamente... Técnico e Eficiente "

O prefeito Alexandre Kireff mostrou se um hábil político muito além do que podia se imaginar, ele que se diz técnico e eficiente na gestão pública sinaliza com essa tacada na indicação de Gilberto Martin médico ex deputado ex-prefeito ex secretário de saúde do estado quadro histórico PMDB , Ser bem mais eficirnte na Politica do que na administração , Kireff da um passo importante na composição de uma futura frente política na disputa pelo paço municipal em Londrina . Aguardemos ...

quinta-feira, 26 de abril de 2012

"Os vígias mais caros da historia de Londrina"

Rapaz depois de ser eleito em uma eleição tumultuada onde quem havia sido eleito não levou, onde a disputa de um terceiro turno entre o segundo e o terceiro colocado, consagrou a eleição de um jovem jornalista e político, onde passado todos os traumas desta eleição peculiar, onde todos acreditavam que o novo comando da cidade, ia começar imprimir sua marca na administração municipal, mas logo de inicio também começam a aparecer os conflitos do jeito de governar, até ai tudo bem, mais alem disso começam também a pipocar rumores de malversação, suborno, trafico de influencia etc . . . envolvendo pessoas próximas ao líder maximo do executivo municipal, e situação após situação , constrangimento após constrangimento, resulta agora na instalação da comissão processante que pode dar ao cabo com o mandato do atual prefeito, é lamentável para nossa cidade, jovem , rica , moderna e pujante, que aparentemente, ter uma massa letrada e iletrada que não consegue ver e escolher bem alguns de nossos representantes, esperemos pois o andamento dos trabalhos para ver , até onde a água chega, e quem se afogara neste alagamento colossal na politica londrinense ...

sexta-feira, 20 de abril de 2012

" Vai dar zebra "

Em matéria publicada na gazeta do povo de hoje Leia Aqui Da indícios de uma suposta conversa do governador Beto Richa (PSDB), e empresário ligado ao tristemente celebre Carlinhos Cachoeira , que bicho vai dar hein .... Em e-mails interceptados pela PF, empresário ligado ao bicheiro fala sobre um suposto encontro com Beto Richa para tratar da volta do serviço de jogos estadual

quinta-feira, 19 de abril de 2012

" Entranhas "

A questão da liberação ou não do aborto é uma questão antiga como a tragédia grega. Em Antígona, escrita séculos antes de Cristo, Sófocles já tratou do que é, no fundo, o que se discute hoje, os limites da intervenção do estado na vida e nas crenças das pessoas. Antígona quer enterrar seu irmão, morto em guerra contra Tebas, e por isso condenado pelo rei de Tebas a permanecer insepulto. A peça é sobre o confronto de Antígona com o rei Creon, do sentimento com a lei, do indivíduo com o Estado, do poder da compaixão e dos rituais familiares com o poder institucionalizado e prepotente. A lei de Tebas proíbe o sepultamento do irmão de Antígona, que se rebela e o enterra assim mesmo, com o sacrifício da própria vida. Em gerações ainda por vir, o confronto de Antígona e Creon se repetirá. No caso do aborto, em países como o Brasil em que a legislação a respeito ainda não foi modernizada, a intervenção do Estado chega às entranhas da mulher. É a lei que decide o que a mulher deve fazer ou não fazer com o filho indesejado, ou que ameaça a sua vida. E esta é uma decisão que deveria acontecer o mais longe possível de qualquer consideração legal, no íntimo da mulher, que é dona do seu corpo e do seu destino. Nem é preciso lembrar que a legislação atrasada força mulheres a recorrer ao aborto clandestino, em condições precárias, com riscos que não existiriam no caso da legalização. Discute-se quando começa a vida, o que equivale a fixar em que ponto o feto, de acordo com a lei, passa a ser protegido do Estado. Mas do começo ao fim da gestação o feto faz parte do corpo da mulher. O ideal é o processo se completar sem interrupção, ninguém quer a banalização do aborto, mas até a criança ser "dada à luz" ela pertence à mulher, a quem cabe tomar decisões sobre sua vida tanto quanto sobre sua própria vida. O Estado não tem nada a fazer neste arranjo particular, salvo assegurar as melhores condições possíveis para o parto ou para o aborto. Sem sepultura. A analogia com a peça de Sófocles também serve para o que se pretende com a investigação do que houve durante a repressão aos contestadores do regime militar. No caso, a analogia é ainda mais apta, pois um dos objetivos da tal Comissão da Verdade é localizar os corpos dos insurgentes mortos, que permanecem não insepultos, mas em covas desconhecidas, enterrados sem cerimônias ou identificação. Antígona quer que o Estado devolva o corpo do seu irmão à família, para enterrá-lo. Ele não pertence mais ao Estado, nem a quem o armou para atacar o Estado. Não pertence mais à História. Agora é apenas um irmão morto sem uma sepultura digna. Texto de Luiz Fernando Veríssimo Publicado hoje 19/04/2012 Jornal O Estado de Sao Paulo

Visitas

FEEDJIT Live Traffic Feed